Seguidores

sexta-feira, 30 de maio de 2008

CAIXA DE PORCELANA COM RELEVO E FLORES DE DESDREN


O estilo Dresden surgiu na europa emancipando-se da grande influencia dos estilos chineses e japoneses pois estes dominaram a pintura em porcelana durante muito tempo no mercado europeu.

É um trabalho fino e delicado trazendo uma elegancia estilizada nas peças, e acredito que todos gostam muito deste estilo. As flores de Dresden são pintadas suavemente dando um leve sombreado nas flores, depois na segunda queima aplica-se o contraste dando o acabamento final na pintura.

Nesta minha peça, foi aplicado na borda toda da caixa o meu relevo de ouro e relevo colorido AS na cor azul e depois o ouro, valorizando ainda mais este trabalho.

PORCELANA CANETADA NO ESTILO FOLK


Esta peça é uma reprodução do tamanho natural do ovo de avestruz. Escolhi o estilo Folk como motivo e ela foi canetada toda em preto com o famoso bico de pena e depois pintada no mesmo tom. Foi aplicado o relevo de ouro AS nos detalhes das flores e folhas e depois o ouro. Acho que ficou bem original!

COMO DIVIDIR PRATOS E VASOS DE PORCELANA

Existe no mercado um divisor muito util e que facilita na hora de dividir um prato ou um vaso. Muitas pessoas não sabem usar o divisor por parecer complicado visualmente, mas é mais fácil do que se imagina!

Voce vai precisar apenas de uma régua maleável, um lápis ou a caneta permanete para fazer a marca na peça.

Este é o modelo de divisor e existem em vários tamanhos.

PARA MARCAR NO PRATO:

Coloque a base do prato no circulo mais próximo do tamanho e veja se ela está bem centralizada antes de marcar.

Sempre inicie pela seta e marque as divisões na peça na quantidade desejada com o lápis.

Vamos supor que deseje dividir o prato em oito partes, vá na linha onde está o número oito e assim por diante vá marcando onde estão todas as setas correspondentes a este número.

Feito isto, una todas as partes com a régua maleável e voce terá seu prato divido em oito partes iguais.



PARA MARCAR VASOS:

Para dividir um vaso coloque-o na base sobre o circulo do tamanho e marque a quantidade desejada, use o mesmo processo para o prato.

Feita as marcas da divisão, coloque o vaso na mesa e utilize um esquadro apoiado sobre a mesa e puxe os pontos marcados em linhas perpendiculares até o meio do vaso.

Agora vire o vaso de ponta cabeça e faça o mesmo puxando com o esquadro o que foi marcado até o centro e agora até a sua borda.

Caso a borda seja menor que a base, divida outra vez em igual número, colocando a mesma sobre o circulo e assim puxe novamente as linhas até a borda.

As linhas horizontais faça com a régua maleável novamente.

quinta-feira, 29 de maio de 2008

PINTURA FOSCA COM RELEVO NA PORCELANA

TECNICA WEDGWOOD
Darei uma breve explicação da técnica utilizada nesta travessa.

Material:
Pincel Condor ou Tigre 3/0
Esponja
óleo mole
Terebentina
Veiculo AS
Papel vegetal/carbono
Tintas foscas AS nas cores branca e azul
Relevo branco brilhante AS

-O primeiro passo é limpar bem a peça com um pano macio embebido no alcool, para retirar a gordura de suas mãos.

-Prepare a tinta fosca branca AS com óleo mole e passe na peça inteira e depois esponje. Leve para a queima de 750° a 700° + ou -, isto depende do forno de cada um.

-Prepare a tinta fosca azul AS com óleo mole e passe na peça inteira e depois esponje. Leve novamente ao forno com os 100° a menos da temperatura normal.

-Se não tiver prática em desenho, transfira o motivo com o papel vegetal e carbono bem usado

-Agora vamos utilizar o relevo AS brilhante para fazer as flores. Prepare o relevo com o veículo AS no ponto de pasta compacta com um pouquinho de terebentina, e aplique com o pincel o relevo formandos os desenhos.

- Aguarde secar de um dia para o outro e queime novamente a 100° a menos da temp. normal , assim o relevo ficará fosco e de acordo com a técnica utilizada.


*Origem da Técnica

WEDGWOOD - Famosa cerâmica inglesa do séc. XVIII. Produzida por Josiah Wedgwood (1730-1795), artesão oleiro inglês que renovou certas fórmulas antigas da cerâmica inglesa. A cerâmica de wedgwood crias os grés vermelhos envernizados de Staffordishire, a imitação dos metais e os grês negros muito duros chamados de "basaltos" realçados com um adorno pintado. Utiliza em 1774 a decoração em uma grande variedade de pequenos camafeus para joalherias, com mais de 2300 modelos, aumentando a produção de jaspeados de massa branca decorados por finos e baixos-relevos moldados. Deve-se à Josiah Wedgwood também a vulgarização da decoração impressa, técnica elaborada por John Sadler, que consistia em repartir sobre a massa a tinta de um desenho ou estampa originais. No final do séc. XVIII, 28 imitações de wedgwood já haviam sido produzidas. Hoje a produção completa da joalheria wedgwood está centrada na indústria da cerâmica inglesa.

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Slide Show! ALGUNS TRABALHOS

DICAS DE LIMPEZA DOS PINCEIS


Bom, o primeiro passo é comprar bons pinceis, assim eles terão uma maior durabilidade e seu investimento recompensado.

A durabilidade dos pinceis dependerá da forma como voce os limpa, para uma melhor conservação recomendo que sempre após terminar o seu trabalho, limpe o pincel na aguarras com cuidado. Não utilize o thinnner para isso.

Enxugue com delicadeza entre o papel macio e pressione com os dedos para retirar o excesso.

Caso haja necessidade de uma limpeza maior, coloque os pinceis horizontalmente de molho em água e sabão de côco por algumas horas e depois lavá-los na água corrente. Depois é só colocar eles de pé em um recipiente com os pelos para cima.

Quando for trabalhar com óleo de copaíba, não esqueça de caprichar na limpeza, pois este óleo endurece os pelos estragando-os definitivamente, após limpá-los passe no óleo mole e ajeite os pelos.

Guarde seus pinceis em estojos apropriados .

Não esqueça de marcar com uma etiqueta os pinceis que voce usa para passar ou filetar o ouro e as tintas lustres ou mesmo os usados para tecnicas com utilização de veículos.

Tendo estes minimos cuidados seus pinceis vão durar anos e não soltarão os pelos.

ALGUNS TRABALHOS NA LINHA CLASSICA

Estas peças foram pintadas da maneira classica e algumas foram premiadas em exposiçoes que participei aqui no Brasil.













O QUE É PORCELANA E SUA ORIGEM


A porcelana é um produto branco impermeável e translúcido. Ela se distingue de outros produtos cerâmicos, especialmente, da faiança e da louça, pela sua vitrificação, transparência, resistência, completa isenção de porosidade e sonoridade.

Basicamente a matéria prima da porcelana são:
argila, quartzo, caulim (caulim é um minério composto de silicatos hidratados de alumínio, como a caulinita e a haloisita, e apresenta características especiais que permitem sua utilização no fabrico de papel, cerâmica, tintas, etc.) e feldspato.

Origem:

Todas as evidências apontam para o surgimento da porcelana na China da época "Teng" que teve na época "Song" a sua mais refinada produção com o afinamento da massa, elegância de formas e introdução de novos vernizes, culminando, na época "Ming" com expansão e desenvolvimento até o século XIX.

De lá se difundindo, por volta do século XVI, a porcelana obteve grande desenvolvimento na Coréia e no Japão de onde foi abundantemente importada sendo reconhecida pelo nome do porto de Imari que escoava a produção da zona de Arita e Kutani.

Desde o século XVI, graças às importações pelas Companhias das Indias, a produção européia se limitou a copiar toscamente a porcelana oriental, como a produção de Florença, até quando, no fim do século XVII, iniciou-se a produção francesa em Rouen e Saint-Cloud que acarretou em 1725 na manufatura Chantily e em 1738 na manufatura Vincennes depois transformada em manufatura real em Sévres.

Desde aí, as técnicas se aprimoram na Inglaterra, Portugal, Espanha e especialmente Alemanha, e, com a prospecção e seleção de novas jazidas de caulim, no final do século XVIII chegava à equiparar-se à qualidade da produção oriental.

Conta-se que Luís XVI, o último monarca da França, fiel ao hábito de seus predecessores, sempre presenteava os dignatários de outros países com porcelanas de Sévres e tapeçarias de Gobelin que no fundo se constituia em propaganda da excelência destes produtos.

domingo, 25 de maio de 2008

O QUE ESPERO DESTE BLOG


Atraves deste blog, quero incentivar quem está começando nesta atividade e quem nunca experimentou pintar em porcelana.

Vou mostrar alguns trabalhos meus e darei algumas dicas relacionadas a pintura em porcelana.

Esta arte exige um pouco mais de dedicação, mas é bem compensadora e com certeza muito gratificante, pois além de ter uma infinidade de técnicas que podem ser aplicadas na porcelana, voce pode usar esta grande ferramenta não só para comercializar as suas peças mas como também presentear seus parentes e amigos e claro decorar a sua casa de uma forma mais requintada.

Espero poder ajudar quem quiser tirar alguma dúvida e contribuir com esta linda arte que tanto me dá prazer.

BIOGRAFIA feita pela Revista "ARTE DO FOGO"


Arlette Sarkis, natural do Egito-Cairo, vive no Brasil há muitos anos e domina com maestria múltiplas técnicas de pintura. Para dar a seus trabalhos um estilo próprio, a artista percorreu um longo caminho, tão longo quanto as milhas que separam o Egito do Brasil.


A aventura de Arlette começou há 46 anos. Como nada acontece por acaso, uma amiga apresentou a Arlette a pintura em porcelana e ela nunca mais abandonaria esta arte. O primeiro passo foi ingressar nas aulas de Leda de Luca (68/69). Em dois anos já se sentia segura para prosseguir sozinha. Nesta época já manifestava uma técnica madura, capaz de fazer com que suas peças fossem reconhecidas a um simples olhar. Pouco depois ela amplia suas atividades passando a se dedicar ao ensino.


Hoje já se completaram 35 anos de aulas regulares e garante que se alguém gosta de pintura, é impossível sair de suas aulas sem aprender. Isso faz com que Arlette não dispense um encontro com as alunas de sua primeira turma. Extremamente dinâmica e ágil, além de pintar com frequência e ministrar cursos, consegue encontrar tempo para dar seminários e expor suas peças por todo o Brasil.


Arlette pesquisa constantemente, chegando ao ponto de usar em seus trabalhos, sejam eles em pintura clássica ou relevo, somente tintas por ela mesmo formuladas, de excelente qualidade e com produtos exclusivamente nacionais, sendo as referidas tintas conhecidas com o nome de fantasia de TINTAS A.S. As tintas e produtos A.S,dentre eles os já conhecidos cadernos de riscos para porcelana são comercializados pela ArteStilo.


Endereço do atelier:


Al. dos Guatas, 1338 Pl. Paulista - São Paulo Fone: 22750292